Governo federal abandonou meta fiscal prevista para este ano, avaliam economistas

O adiamento do anúncio no corte do Orçamento e as notícias de que o governo pretende adotar regras mais flexíveis para cumprir a meta de superavit primário prejudicaram ainda mais a credibilidade da equipe econômica.

Nesta quinta (11), o governo decidiu postergar para Nesta quinta (11), o governo decidiu postergar para março o corte que pretende fazer nos gastos para tentar cumprir a meta de economia de 0,5% do PIB. O anúncio era esperado para esta sexta (12).

meta fiscal

“Esse atraso é muito ruim. A presidente já deveria ter apresentado coisas pontuais nesse sentido em sua mensagem ao Congresso, na semana passada”, diz o economista­chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito. “Mas o clima já está tão ruim que não será isso o que vai mudar as expectativas do mercado.”

Para José Francisco de Lima Gonçalves, do Banco Fator, o governo tenta ganhar tempo para negociar com parlamentares cortes nos gastos ou aumento de impostos para definir o Orçamento.

Marcelo Giufrida, sócio da Garde Asset Management, diz que o que mais preocupa não é o governo postergar a decisão, mas a intenção de adotar bandas de flutuação do superavit.

Para ele, na prática, o governo está abandonando a meta fiscal para este ano.

“No curto prazo só tem um jeito de resolver o problema fiscal: aumentar imposto, o que é inviável por causa do Congresso”, diz Perfeito.

Leia a notícia na íntegra no site Folha de S.Paulo.

Fonte: Folha de S.Paulo
FacebookTwitterGoogle+WhatsApp

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *