Chinelo defende trabalhadores em reunião com Michel Temer

O sindicalista José Avelino Pereira, o Chinelo, vice-presidente nacional da CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros e diretor tesoureiro do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba e Região almoçou nesta sexta-feira (10), com o presidente em exercício Michel Temer, no Palácio do Jaburu, em Brasília/DF. O almoço foi convocado pelo próprio presidente Temer, e contou além de sindicalistas da CSB, com representantes da Força Sindical, da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST).

temer_chinelo temer_chinelo2 temer_chinelo3 temer_chinelo4

Fotos: André Oliveira MTB 16650/05

Chinelo destacou que o encontro foi importante pois demonstrou, em primeiro lugar, a abertura do atual governo ao diálogo. “Em 45 dias tivemos três encontros com o atual governo, o que demonstra claramente sua intenção de recolocar o Brasil nos trilhos, e ele sabe que a classe trabalhadora é crucial para esta finalidade”, destacou o sindicalista, que é de Araçatuba.

“Uma coisa que ficou muito clara no diálogo é que o governo não pretende mexer nos direitos já garantidos, principalmente para aqueles brasileiros que já estão prestes a se aposentar”, explicou Chinelo.

O vice-presidente da CSB ainda destacou que durante o encontro as lideranças sindicais enumeraram algumas medidas que julgam importantes para tirar do desemprego os mais de 12 milhões de brasileiros. “Deixamos claro que não dá mais para convivermos com uma taxa de juros de 14,25%, pedimos uma redução na taxa, a fim de que com isso, possamos fazer girar, novamente, a roda da economia, que beneficiará as indústrias, que voltam a contratar, gerando divisas e movimentando o comércio e os serviços, fazendo assim com que a roda do desenvolvimento possa retomar seu curso”, explicou.

Outra questão levantada pelos convidados do presidente Temer, foi o retorno das Câmaras Setoriais, importantes instrumentos para a discussão de saídas para a crise, e também incentivos voltados para o setor automobilístico, como a renovação da frota de veículos leves e de transporte público, que pode dar novo impulso para a retomada do fôlego.

FacebookTwitterGoogle+WhatsApp

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *