Brasil registra fechamento de 33,9 mil postos formais de trabalho em agosto

 

A economia brasileira, ainda sentindo os efeitos da crise, continua fechando vagas de trabalho com carteira assinada. Segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no mês de agosto as demissões superaram as contratações em 33.953 empregos.

Os dados, divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (23), revelam que este foi o décimo sétimo mês seguido de fechamento de vagas formais. O último mês com contratações acima das demissões foi março do ano passado, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.

metalurgica_1

Apesar de negativo, o resultado do mês passado foi menos ruim do que o registrado em agosto de 2015, quando foram fechados 86.543 postos de trabalho. O pior resultado para meses de agosto foi em 1995, quando 116.856 empregos com carteira assinada foram cortados.

Acumulado do ano

Na parcial dos oito primeiros meses deste ano, as demissões superaram as contratações em 651.288 vagas formais. Foi o pior resultado para este período desde o início da série histórica do Ministério do Trabalho, que, neste caso, começa em 2002.

Até então, o pior resultado, para o período de janeiro a agosto havia sido registrado no ano passado, quando foram fechadas 572.792 vagas com carteira assinada.

Os números de criação de empregos formais dos oito primeiros meses do ano, e de igual período dos últimos anos, foram ajustados para incorporar as informações enviadas pelas empresas fora do prazo nos meses de janeiro a julho. Os dados de agosto ainda são considerados sem ajuste.

O Ministério do Trabalho informou também que, nos últimos doze meses até agosto, foi registrada a demissão de 1.656.144 trabalhadores com carteira assinada.

Indústria volta a contratar

Em agosto, segundo os números do governo, o setor que mais demitiu foi a construção civil, com fechamento de 22.113 postos formais de trabalho, seguida pela agricultura, com demissão de 15.436 trabalhadores com carteira assinada. Já os serviços fecharam 3.014 vagas no mês passado.

Por outro lado, houve a abertura de 6.294 empregos com carteira assinada pela indústria de transformação em agosto deste ano. Desde fevereiro de 2015 que as contratações nesse setor não superavam as demissões.

Outros setores que criaram vagas em agosto foram o comércio (888 vagas formais) e a indústria extrativa mineral, que contratou 366 trabalhadores no período.

Já nos oito primeiros meses deste ano, informou o Ministério do Trabalho, quase todos os setores da economia demitiram trabalhadores, com exceção da administração pública, que abriu 18.631 vagas, e da agricultura (+82.109 empregos com carteira assinada).

O comércio liderou o fechamento de vagas com carteira assinada nos oito primeiros meses deste ano, com 267.267 demissões. Em segundo lugar está a construção civil, com 164.604 vagas fechadas, seguida pelos serviços, com 162.922 vagas formais fechadas na parcial deste ano.

Logo depois, vem a indústria de transformação, com 146.249 empregos formais fechados no período, e a indústria extrativa mineral, com 5.706 vagas fechadas nos oito primeiros meses deste ano.

 

Alexandro Martello

Fonte: G1 – Brasília

FacebookTwitterGoogle+WhatsApp

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *